Notícia

Estudo

sexta, 22 de fevereiro de 2019
Redes sociais impulsionam empreendedores digitais

Imagem: Pixabay.

O Brasil tem observado nos últimos anos um crescimento significativo no número de pessoas interessadas em ter um negócio próprio. Dados da pesquisa GEM/Sebrae mostram que entre 2007 e 2017 o número de empreendedores triplicou, passando de 14,6 milhões para 49,3 milhões. Atualmente, existem 20 milhões de empreendimentos no país, sendo a maioria deles pequenas empresas. É no meio digital que esses empresários tem buscado expor suas marcas. Além do custo relativamente mais baixo, menos burocracia e possibilidade de falar com mais pessoas, um negócio online permite que se atenda sob demanda, dentro da necessidade do cliente e de acordo com o que a sua empresa consegue entregar. Tudo o que é preciso para começar é uma página, criatividade e as estratégias certas de como conversar com o seu público de interesse.

Foi assim, com uma página no Facebook e algumas fotos de produtos publicadas, que o empresário André Garcia deu o pontapé inicial no que hoje é o Estoque Parado, primeiro outlet online de material de construção civil do Brasil. O negócio funciona como um market place e reúne peças de estoque de diversas lojas que não foram vendidas e as repassa ao consumidor final por preços menores.

O empreendimento, que existe desde outubro de 2017 e é 100% digital tanto em operação quanto comunicação, tem ganhado cada vez mais clientes. “A força de alcance das redes sociais é impressionante. Comecei colocando os produtos da minha loja e de outras que eram parceiras minhas e tinham estoque parado em uma página do Facebook. Em uma semana consegui vender produtos para clientes no Sul. Comecei a elaborar a plataforma, mas antes mesmo que ela estivesse pronta já estávamos consolidados e realizando vendas graças ao nosso trabalho no Facebook e Instagram.”, explica André.

De lá pra cá, o interesse de lojistas no Estoque Parado cresceu. Hoje, ao menos 30 lojas parceiras expõem e vendem seus produtos no outlet. Além dos preços mais em conta, André atribui o sucesso do empreendimento à praticidade que os consumidores encontram e a confiança que passaram a ter; resultado de um forte trabalho de comunicação nas redes sociais da empresa. “Minha família tem uma loja de material para construção, então estou nesse mercado desde que era adolescente. É um nicho que precisa se reinventar. Acredito que o nosso grande trunfo é que procuro conversar com as pessoas da mesma forma como se elas estivessem comigo no balcão de vendas. Com certeza, os recursos de aplicativos de troca de mensagem facilitam muito essa interação.”, completa.

Um ponto que pesa a favor das empresas nativas digitais é o custo-benefício para divulgação. Investindo uma pequena verba, é possível atingir o público que se deseja. Por exemplo: entre Instagram e Facebook, o Estoque Parado fala com aproximadamente 44 mil pessoas todos os dias. Os posts patrocinados podem ser impulsionados e segmentados fazendo um investimento relativamente menor se comparado a anúncios publicitários em jornais, revistas ou outro tipo de mídia tradicional.

Para que essa estratégia funcione e a empresa se destaque, no entanto, o conteúdo das publicações deve ser atrativo. Além das promoções André mostra um pouco do seu dia a dia. “A identificação do público com a rotina e essa coisa do empreendedor chama a atenção. Muita gente envia mensagem para elogiar o trabalho, dizer que me acompanha e que se inspira no que estou fazendo. Esse é um reconhecimento fantástico que dificilmente aconteceria de forma mais “analógica”, sem o uso das redes sociais. Ou se acontecesse, com certeza demoraria bem mais tempo.”, conclui.

Fonte: Bem Paraná